Saneamento | Essencial para a saúde, para o ambiente e para a economia

No próximo dia 22 de Março celebra-se o Dia Mundial da Água, este ano dedicado às questões do saneamento.

 

O saneamento é vital para a saúde humana, gera benefícios económicos e sociais e é benéfico para o ambiente.

 

A Assembleia-geral das Nações Unidas declarou o ano de 2008 como o Ano Internacional para o Saneamento, expressando as preocupações com o progresso insuficiente realizado até agora para atingir a meta de saneamento global, reconhecendo ao mesmo tempo que existe a capacidade de melhorar as condições de saneamento existentes, sendo para isso necessário que todos assumam compromissos nesse sentido.

 

Ao nível global, há pelo menos 2.6 mil milhões de pessoas (41% da população mundial) que não têm acesso a latrinas ou a qualquer infra-estrutura básica de saneamento.

 

Em Portugal, 25% da população não tem acesso à rede de drenagem de águas residuais e 34% não tem acesso a tratamento de águas residuais (INSAAR, 2005). As metas do PEAASAR II pretendem atingir os 90% da população servida por drenagem de águas residuais em 2013, o que continuará a ser insuficiente. O investimento e o interesse na melhoria das redes de abastecimento e de drenagem de águas residuais terão que aumentar, para cumprir a obrigação de incluir toda a população portuguesa.

 

A reutilização das águas residuais é uma forma eficiente e relativamente simples de poupar água e uma das opções viáveis para uma gestão eficaz dos recursos hídricos disponíveis, trazendo benefícios a diversos níveis. A reutilização destas águas diminui a descarga de efluentes de ETAR e a poluição nos cursos de água, reduz a necessidade de captação de água para consumo e diminui também a conta da água das nossas casas.

 

Informação adicional:

 

As “águas cinzentas” são águas residuais provenientes dos chuveiros, lavatórios e bidés, contêm menos agentes patogénicos e requerem menos tratamentos que as “águas negras”. Podem ser reutilizadas dentro de casa para descargas de autoclismos e lavagem de pavimentos, por exemplo, podendo ainda ser utilizada para regar o jardim (dependendo da origem).

 

As “águas negras” são águas residuais que foram misturadas com desperdícios da sanita e do lava-louça. Requerem tratamento biológico ou químico e desinfecção antes de ser reutilizada.

 

Factos:

 

    * A gestão da água é um dos maiores desafios da actualidade

    * 5 mil crianças morrem todos os dias por doenças relacionadas com a qualidade e a falta de água

 

·        Mais de 60% da água que consumimos provém dos rios, os quais são também receptores de águas residuais

 

    * Cada português gasta em média 120 litros de água por dia e cerca de 80% desta é utilizada no autoclismo, no banho e na lavagem da roupa

    * Cada português produz em média 117 litros de águas residuais por dia

    * 80% das águas residuais produzidas são águas cinzentas

    * Uma torneira aberta no lavatório pode gastar 9 litros de água por minuto.

    * Uma torneira a pingar pode gastar cerca de 25 litros de água por dia.

    * Um duche de 5 minutos gasta entre 25 e 100 litros de água, dependendo do modelo do chuveiro e da pressão da água

 

Conselhos:

· As águas residuais podem ser reutilizadas para vários usos

· A reutilização de águas residuais reduz a captação de água para consumo e diminui a descarga de efluentes de ETAR.

· Ao reutilizar as águas residuais está a reduzir a sua conta de água e a poluição nos cursos de água

· As águas residuais tratadas, quando utilizadas nos jardins, transportam nutrientes benéficos para o desenvolvimento das plantas

· Lave os seus pavimentos exteriores com águas cinzentas

· Utilize água da banheira para a descarga do autoclismo

· A reutilização das águas residuais diminui o volume dos efluentes das ETAR e permite uma melhor gestão do sistema de esgotos

· As águas cinzentas podem ser utilizadas para as descargas de autoclismos, lavagem de pátios, lavagem de carros e rega de jardins. Experimente!

· Alimente o seu jardim com água residual tratada

· Se substituir um autoclismo clássico (10 l/descarga) por um autoclismo de baixo consumo (6 l/descarga) poupa 18 mil litros de água por ano

· Evite fazer descargas desnecessárias, o autoclismo não é um caixote do lixo. Cada descarga gasta entre 7 a 10 litros de água.

 

 

Lisboa, 20 de Março de 2008

 

Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 

 

Share

Quercus TV

 

Espreite também a Quercus TV.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb