Calendário de Eventos

Flat View
Ver por ano
Vista mensal
Ver por mês
Weekly View
Ver por semana
Daily View
Ver hoje
Categories
Ver por categorias

Campanha de crowdfunding pela nossa Costa Sudoeste

De Segunda-feira 24 Junho 2013
Para Sexta-feira 23 Agosto 2013
por Quercus

Faça um donativo!

Ajude a Quercus a financiar uma ação judicial para proteger o troço do litoral europeu melhor preservado!

 


 


Que ameaças?


litoral alentejano1Está em curso mais um ato de destruição do património natural do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, o troço de litoral europeu melhor conservado, com várias espécies de fauna e flora únicas. Há o risco iminente de se ocuparem mais 55 hectares com área urbanizada, no concelho de Odemira, a menos de 2 quilómetros da zona costeira, com mais um Hotel, 2 aldeamentos turísticos e mais um equipamento de animação autónoma destinado à prática desportiva e à animação de eventos temáticos, destruindo os habitats da planta de conservação prioritária Ononis hackelii e do Rato de Cabrera e ainda perturbando o até agora sossegado estuário do Mira.

 

Por outro lado, além de terem sido desvalorizadas as normas orientadoras do Plano Regional de Ordenamento do Território do Alentejo, violar-se-á o Plano Diretor Municipal de Odemira e serão desafectados terrenos agrícolas inseridos no Perímetro de Rega do Mira, convertendo área com potencial agrícola em espaço urbanizado.

A avaliação de impacte ambiental foi também uma fraude, já que foram apresentadas alternativas de localização, como prevê a legislação, que obriga à avaliação de alternativas, incluindo a alternativa zero, o que tem ainda mais peso tratando-se de um projeto inserido numa área classificada.

 

Foram também esquecidos os objectivos do Regulamento do Plano de Ordenamento do Parque Natural que sensatamente visam conter a expansão da construção fora dos perímetros urbanos em defesa dos valores naturais.

 

Mais ainda, o anterior Governo introduziu um parágrafo no Regime Transitório da Resolução do Conselho de Ministros n.º 11-B/2011, de 4 de Fevereiro – o n.º 8 do Art.º 87.º (o qual instituiu o Regulamento do PNSACV), que representou uma medida ilegal e inconstitucional, claramente em benefício dos promotores que tentam, há muitos anos, urbanizar o pouco que ainda resta de um património natural único.

 


Porquê contribuir?

 

litoral alentejano2.2Perante a aprovação ilegal de mais um mega-empreendimento imobiliário, a Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza não se resignou e avançou com uma ação judicial para impedir que o conluio entre agentes imobiliários sem escrúpulos e entidades públicas laxistas possa vencer a defesa intransigente dos valores naturais.


Assim, foi submetida, no dia 13 de Março de 2013, uma ação administrativa especial contra o Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, o Conselho de Ministros e os promotores do Projeto Vila Formosa, que apela aos tribunais para declarem nulas as decisões tomadas por dois Governos, algumas ainda envoltas em mistério.

 

Como se estima que o custo deste processo judicial seja de 5.000 euros na sua totalidade e vivendo a Quercus essencialmente dos donativos que cidadãos e empresas oferecem, esta campanha de crowdfunding vem apelar a todos os cidadãos que contribuam, na medida das suas possibilidades, ajudando a suportar as despesas judiciais nesta luta contra predação dos valores naturais.

 

Chegou a hora travar mais esta batalha em prol do ambiente e da defesa do pouco que resta do nosso património natural.

 

 

 

 

 

 


O seu donativo é fundamental e vai fazer a diferença!

 

 

  


Mais imagens:

 


 

Mapas:

 

 

 

 

English version

 

 

 

Voltar

JEvents v2.2.7   Copyright © 2006-2012

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb